Caminho facilitado

22/05/2009

libertaCom o Boca fora da disputa da Libertadores 09, chances de título brasileiro sofrem um acréscimo signficativo.

Boca Juniors 0 x 1 Defensor

A zebra andava em falta na Libertadores 09.

Voltando de contusão, Riquelme jogou mal e não evitou a eliminação dos xeneizes

Voltando de contusão, Riquelme jogou mal e não evitou a eliminação dos xeneizes

E ela resolveu aparecer nesta quinta-feira.

O temido hexacampeão Boca Juniors foi eliminado nas oitavas-de-final pelo Defensor, do Uruguai, em plena La Bombonera.

O autor do único gol — marcado aos 27 minutos do primeiro tempo — foi Diego de Souza.

Moral da história: com o papa-títulos internacionais fora da disputa, os clubes brasileiros — que compõem metade dos times restantes — têm a vida facilitada e grandes chances de emplacar o campeão.

Aos xeneizes resta somente a tentativa de recuperação no Clausura do Campeonato Argentino, torneio no qual ocupam a 16ª posição.

Mas engana-se quem pensa que o Defensor deu sorte na “Caixa de Bombons”.

Os uruguaios fizeram partida exemplar no aspecto tático e contaram com atuação iluminada do bom goleiro Martín Silva.

Quem também merece crédito é o trio ofensivo formado pelos insinuantes e habilidosos meio-campistas Julio Marchant — argentino revelado no Boca — e Diego de Souza — uruguaio com nome e pinta de brasileiro –, além do “tanque” Roberto Mora, centroavante trombador e dono de um bom chute.

Com a surpreendente desclassificação do Boca Juniors, as quartas-de-final foram definitivamente definidas. Confira abaixo o caminho até a final:

Quartas-de-final

Chave I: Grêmio x Caracas
Chave L: São Paulo x Cruzeiro
Chave J: Estudiantes x Defensor
Chave K: Nacional x Palmeiras


Semifinais

Chave M: Vencedor I x Vencedor L
Chave N: Vencedor J x Vencedor K


Final

Chave O: Vencedor M x Vencedor N

Ilha santificada

13/05/2009

libertaMarcos tem atuação iluminada, defende três pênaltis, apaga o fogo do caldeirão da Ilha do Retiro e classifica o Palmeiras para as quartas-de-final da Libertadores 09.

Sport 1 (1) x (3) 0 Palmeiras

Para quem não assistiu ou não se lembra das atuações de Marcos na final da Libertadores de 1999 ou na semifinal de 2000, o jogo desta terça-feira diante do Sport pelas oitavas-de-final da edição de 2009 da mesma competição continental preencheu muito bem essa lacuna.

Mais uma noite heroica para o camisa 12 na Libertadores

Mais uma noite heroica para o camisa 12 na Libertadores

Se há dez anos o apelido “São Marcos” foi criado, esta noite ele foi definitivamente abençoado.

Com pelo menos quatro defesas dificílimas — sendo duas delas verdadeiros milagres, em cabeçada e finalização à queima roupa de Paulo Baier –, um dos maiores ídolos da história do Palmeiras — se não o maior — justificou essa alcunha e foi fundamental para a classificação de sua equipe, que atuou demasiadamente na defesa.

Armado no 3-2-4-1 que venceu o Colo-Colo na “Batalha de Santiago” da primeira fase, o Palmeiras, com os mesmos jogadores, mas ao contrário do que aconteceu no Chile, foi acuado durante todos os 90 minutos por um inflamado Sport — que teve seu habitual 3-4-1-2 modificado para um 4-2-2-2, com Igor na lateral-direita, Luciano Henrique no meio-campo e Ciro no ataque.

Nelsinho Baptista finalmente ousou e conseguiu surpreender Vanderlei Luxemburgo. Responsáveis pela criação do time da casa, Luciano Henrique e Paulo Baier descentralizaram Pierre e Souza, matando qualquer possibilidade de contra-ataque. A bola não era roubada no meio-campo — especialidade de Pierre — e o Palmeiras não tinha como ameaçar o gol de Magrão.

Do outro lado, Wilson e Ciro se movimentavam muito, confundiam a marcação do trio de zaga alviverde e criavam chances para quem vinha de trás — a grande maioria delas desperdiçada por Paulo Baier, que, exatamente por isso, deu lugar a Fumagalli no intervalo.

Dutra descia sempre com perigo pela esquerda e o Sport  tomou conta do primeiro tempo.

A segunda etapa começou do mesmo jeito, mas as chances de gol para o tetracampeão pernambucano eram bem mais raras. Justo no momento em que o Sport parecia cansado e não existia mais nehum tipo de organização tática de nenhum dos dois times — era ataque rubro-negro contra defesa alviverde — surgiu o gol do jogo. Aos 37, Luciano Henrique — em sua única jogada individual — driblou Wendel, ultrapassou Mozart, invadiu a área e bateu cruzado. A bola passou por Marcos e Wilson, debaixo do gol, só teve o trabalho de empurrar para as redes.

Aos 48 e com um jogador a menos — Wendel foi expulso aos 45 após entrada por trás em Luciano Henrique –, o Palmeiras sofreu dois grandes sustos. Primeiro, Ciro limpou a marcação de Maurício Ramos e, da risca da grande área, chutou forte. A bola explodiu na trave depois de leve desvio de Marcos. Na cobrança de escanteio, Durval subiu no terceiro andar e testou firme para o chão. A bola pingou e passou muito perto do travessão.

Fim de jogo e decisão nos pênaltis.

Mozart abriu os trabalhos e cobrou muito mal: chute cruzado e fraco para fácil defesa de Magrão.

Mais uma vez chamando a responsabilidade, Marcos defendeu a cobrança de Luciano Henrique.

Marcão e Igor — cada um para um lado — conferiram e empataram o placar em 1 a 1.

A partir daí, só gols palmeirenses e defesas do goleiro capitão. Danilo e Armero marcaram, enquanto Fumagalli e Dutra sucumbiram diante de “São Marcos”.

Final: 3 a 1, classificação do Palmeiras e mais um capítulo heroico na história de um dos maiores goleiros da história do Brasil.

O Palmeiras encara o Nacional de Montevideo nas quartas-de-final. O primeiro jogo, no Palestra Itália, acontece daqui a duas semanas.

Escalações:
Sport:
1 Magrão; 3 Igor, 2 César Lucena, 4 Durval e 6 Dutra; 25 Daniel Paulista (8 Sandro Goiano / 22′ do 1º) e 14 Andrade (22 Moacir / 14′ do 2º); 19 Luciano Henrique e 10 Paulo Baier (7 Fumagalli / intervalo); 17 Wilson e 11 Ciro.
Palmeiras : 12 Marcos; 15 Maurício Ramos, 23 Danilo e 13 Marcão; 5 Pierre e 21 Souza (2 Mozart / 31′ do 2º); 17 Wendel (expulso / 45’do 2º), 10 Cleiton Xavier, 7 Diego Souza (8 Willians / 20′ do 2º) e 6 Armero; 9 Keirrison (20 Ortigoza / 20′ do 2º).

Gol: Wilson (37′ do 2º)


Fim do primeiro ato. Que venha o segundo!

01/05/2009

libertaA fase de grupos da Libertadores 09 acabou. Confrontos de oitavas-de-final e o chaveamento até a decisão já estão definidos. Todos os cinco representantes brasileiros seguem na disputa.

Os jogos dos grupos 2 e 3 realizados nesta quinta-feira — que classificaram ou concretizaram a classificação de Boca Juniors, Deportivo Cuenca, Nacional uruguaio e San Martín — deram fim à primeira fase do torneio mais importante da América e finalmente definiram quem pega quem até o final da competição.020616166-dp00

O Grêmio — primeiro entre os primeiros — teoricamente tem caminho tranquilo até as semifinais. Com a vantagem de mandar a segunda partida no Olímpico em todos os seus confrontos, enfrenta o peruano San Martín nas oitavas e, se passar, o vencedor de Caracas x Deportivo Cuenca nas quartas.

O sempre favorito Boca Juniors pega o Defensor na primeira disputa eliminatória. O vencedor entre argentinos e uruguaios encara Libertad ou Estudiantes — à primeira vista, o mais equilibrado confronto das oitavas.

O histórico Nacional de Montevideo luta contra o San Luís do México por uma vaga nas quartas-de-final. Quem vencer pega o ganhador da revanche tupiniquim entre Sport e Palmeiras.

Por último, o São Paulo reviverá os quentes duelos de 2006 contra o Chivas Guadalajara. A equipe que avançar provavelmente enfrentará o Cruzeiro, que medirá forças com a Universidad de Chile.

Vale lembrar que o regulamento prevê o encontro entre dois times do mesmo país nas semifinais, se estes chegarem até lá. A única possibilidade de uma final entre compatriotas é se três equipes de uma mesma nação atingirem a penúltima fase, sendo que o único país capaz de ter uma final nacional na atual Libertadores é o Brasil — Grêmio; Sport ou Palmeiras e São Paulo ou Cruzeiro podem chegar lá.

A seguir os confrontos e cruzamentos até a final:

Oitavas-de-final

Chave A: (1º) GRÊMIO x San Martín (16º)
Chave H: (8º) Caracas x Deportivo Cuenca (9º)
Chave D: (4º) SÃO PAULO x Chivas (13º)
Chave E: (5º) CRUZEIRO x Universidad de Chile (12º)
Chave B: (2º) Boca Juniors x Defensor Sporting (15º)
Chave G: (7º) Libertad x Est. La Plata (10º)
Chave C: (3º) Nacional-URU x San Luís (14º)
Chave F: (6º) SPORT x PALMEIRAS (11º)

Quartas-de-final

Chave I: Vencedor A x Vencedor H
Chave L: Vencedor D x Vencedor E
Chave J: Vencedor B x Vencedor G
Chave K: Vencedor C x Vencedor F


Semifinais

Chave M: Vencedor I x Vencedor L
Chave N: Vencedor J x Vencedor K


Final

Chave O: Vencedor M x Vencedor N

Algumas notícias sobre a Libertadores também saíram nesta quinta:

A Conmebol informou que as equipes mexicanas classificadas às oitavas-de-final — San Luís e Chivas — deverão mandar seus jogos em Bogotá, devido à epidemia de gripe suína que assola o país norte-americano. Contudo, a prefeitura da capital colombiana não vê com bons olhos essa decisão e, preocupada com a saúde de sua população, já disse que não vai acatá-la. A Confederação Sul-Americana ainda não se pronunciou sobre o assunto.

O Grêmio e o Cruzeiro já anunciaram reforços para as fases eliminatórias da competição continental, em que cada time tem o direito de trocar até três nomes da sua lista original de 25 jogadores. O volante Túlio, que estava no Corinthians, e o lateral-direito Joílson, ex-São Paulo, se mudaram para Porto Alegre, enquanto o veterano lateral-esquerdo Athirson trocou o Canindé pela Toca da Raposa.

O Palmeiras, por sua vez, também corre atrás de novas aquisições. Depois de apresentar o volante Mozart na última terça-feira, o Verdão procura um lateral-direito e um atacante no mercado. Kieza, avançado do Americano de Campos, é o nome mais próximo de ser anunciado.

Imagem e tabela: Globoesporte.com


Quarta agitada

30/04/2009

Dia 29 de abril marcou diversos fatos relevantes no mundo da bola. A seguir, alguns deles em forma de drops:

Batalha em Santiago: O Palmeiras venceu o Colo-Colo por 1 a 0 no Estádio Monumental com um jogador a menos e com gol aos 42 minutos do segundo tempo. Tá bom ou quer mais? A partida foi uma verdadeira epopeia verde, já que o Verdão precisava da vitória para se classificar e garantir os cinco representantes brasileiros nas oitavas-de-final da competição continental. Luxemburgo promoveu duas surpreendentes modificações no time titular ao colocar Wendel na lateral-direita e o jovem Souza ao lado de Pierre na proteção à zaga. Elas surtiram efeito e o primeiro tempo foi bem administrado pela equipe paulistana, que assustou os chilenos com dois chutes de Keirrison na trave e foi beneficiada pela lesão de Macnelly Torres logo aos 15 minutos. No intervalo, Luxa substituiu — precipitadamente — Wendel por Willians. O camisa 8 — há mais de um mês fora de combate devido a uma contusão — sentiu a falta de ritmo de jogo e foi praticamente nulo em campo. Aos 18, Marcão foi expulso e o jogo abriu de vez. Muitas chances para os dois lados, até que Cleiton Xavier arriscou da intermediária e acertou o ângulo do goleiro Muñoz com um pombo sem asa indefensável. Golaço e classificação heroica. Agora é esperar pelo adversário nas oitavas-de-final.

Que fase! Até quando perde, o Corinthians festeja. Mesmo tendo a invencibilidade de 25 jogos quebrada pelo Atlético-PR ao ser derrotado por 3 a 2 na Arena da Baixada, pela primeira perna das oitavas-de-final da Copa do Brasil, o alvinegro tem muitos motivos para comemorar devido às circunstâncias da partida. Depois de tomar um vareio do Furacão no primeiro tempo e levar o terceiro gol no comecinho da segunda etapa, o Corinthians reagiu e marcou dois importantíssimos gols com Cristian, aos 41, e Dentinho, aos 47. Os paulistas ainda desperdiçaram pênalti — muito mal marcado pelo pernambucano Nielson Dias — com Chicão. Os atuais campeões da Série B se classificam com vitória simples no jogo da semana que vem, no Pacaembu. A má notícia fica por conta da pancada sofrida nos arcos costais de Ronaldo — a possibilidade de fratura na costela já foi descartada pelos médicos corintianos –, que corre o risco de não jogar domingo contra o Santos pela decisão do Campeonato Paulista.

Irresistível Colorado: O Internacional venceu e convenceu mais uma vez na noite desta quarta. A vítima da vez foi o Náutico, que sucumbiu por 3 a 0 em pleno Estádio dos Aflitos, também pelas oitavas da Copa do Brasil. Nilmar, Taison e Marcelo Cordeiro marcaram os gols vermelhos. Surpreende a intensidade e a capacidade técnica e tática do time comandado por Tite, principalmente nos últimos jogos. Está certo que os adversários — Caxias (8 x 1), Guarani (5 x 0) e agora Náutico — não servem como um parâmetro totalmente confiável, mas a qualidade do futebol do Inter é tão alta que o rótulo de favorito à conquista do Brasileirão 2009 é mais que merecido. Pena é a notícia de que Nilmar provavelmente deixará o Beira-Rio na janela de transferências do meio do ano. Uma oferta de US$ 20 milhões por parte do italiano Palermo já teria inclusive sido aceita pelos dirigentes colorados.

Insatisfeito: “É quase seguro que eu vá embora”, frase de Carlitos Tevez em entrevista concedida ao repórter João Castelo Branco, da Espn Brasil, na zona mista após o jogo em que o Manchester United venceu o Arsenal por 1 a 0 pelas semifinais da Champions League 08/09. Buscando a titularidade absoluta — algo muito raro em se tratando de futebol europeu –, o argentino não está contente com sua situação no United, tendo que participar do rodízio promovido por Sir Alex Ferguson. Disposto a deixar o Old Trafford ao final da temporada, Tevez diz ter propostas de vários clubes europeus. As especulações dão conta de que o Real Madrid é o principal interessado.